Deméter, Grande Mãe

Deméter ou Demétra (para os gregos), Ceres (para os romanos) é uma deusa olímpica, não possui um dos doze tronos de poder; entretanto, a deusa mais venerada em toda a Grécia.
Pertencente aos grandes seis, filha de Cronos e Réia, irmã de Héstia, Hera, Poseidon, Hades e Zeus.
Para contar sua história, devemos primeiro saber quais seus atributos.
Atributos de Deméter:
É a deusa da terra cultivada, das colheitas e das estações do ano. Deusa da própria agricultura e colheita, considerada muitas vezes como deusa protetora do casamento e das leis sagradas.
História de Deméter:
Deméter ao ser resgatada por Zeus de dentro do estômago de seu pai Cronos, decidiu fertilizar a terra, que se encontrava assolada após as batalhas entre deuses e titãs. Ela dava à terra a fertilidade e a possibilidade do sustento aos homens, e estes, poderiam cultivar a agricultura neste solo de forma que não ficassem sem nenhum alimento.
Ela sofria de várias tentativas de abuso de seu irmão Poseidon, ele a desejava e a queria; por sua vez, Deméter se transfigurou em uma égua para se esconder de seu irmão. Poseidon logo descobriu o disfarce da irmã e se transfigurou em um cavalo e a fecundou, desta relação, nasceu o jovem Árion (poeta lírico grego, de origem duvidosa entre realidade e mitologia). Árion foi criado como humano e Apollo jurou em dar ao jovem o dom da voz e da canção lírica.
Deméter possui alguns relacionamentos com humanos, o mais importante foi com Iáson, o qual gerou o jovem Pluto, que foi ligado à riqueza e a abundância.
Em um relacionamento com Zeus, engravidou e deu a luz a jovem Proserpina (ou Core). A deusa era sempre observada por sua mãe e era superprotegida; certa vez, Deméter possibilitou a visita de Proserpina até a Terra, lugar onde a jovem jamais havia ido.
Proserpina estava deslumbrada com a visão da Terra, após algum tempo, se deitou e adormeceu; momento o qual a terra abriu uma fenda e possibilitou a passagem de Hades para capturar a deusa.
Deméter notou o desaparecimento da filha e desesperada desceu do Olimpo, por vários meses, a deusa não cessou sua busca; jamais se deitou para descansar e jamais parou para se alimentar. Procurou por todo o mundo e nunca a encontrou, até que a ninfa Ciana contou sobre o ocorrido; em um acesso de fúria, Deméter amaldiçoou a terra:
"Terra ingrata e solo maldito, eu o salvei da devastação e lhe dei minha fertilidade. Por anos lhe dei a força para germinar os grãos e as sementes e te abres para o rapto iminente de minha filha? A partir de agora, não mais gozará de minha generosidade!"
Desta forma, o solo se tornou infértil, plantações foram destruídas, plantas secaram e o gado morreu pela fome. A população grega, que se encontrava já em grande quantidade se deparou com a fome e a dificuldade de cultivo dos alimentos, dado este momento para muitos historiadores como a 2ª Diáspora Grega.
Apollo assistia a tudo nos céus e temeu o extermínio de toda a população terrena, desceu a Terra e contou a Deméter que Hades havia aberto o solo de forma agressiva, não era intenção da terra de abrir para o rapto da jovem deusa.
Deméter, convencida por Apollo, devolveu a fertilidade ao solo e pediu ajuda de Zeus para salvar a filha.
"Irmão, tu que tens o controle sobre as ordens dos deuses, me ajude a salvar minha amada filha dos reinos de Hades."
Zeus se negou em ajudar, entretanto, pediu que Hermes guiasse Deméter no submundo até encontrarem Hades.
Hermes a guiou e quando encontraram Hades, Deméter se pôs agressivamente em defesa da filha para resgatá-la, Hades então aceitou que Proserpine voltasse com a mãe. No Olimpo, Deméter sentia sua filha diferente e perguntou se havia comido algo no submundo, e a filha respondeu que sim. Deméter sabia que, pelas ordens de Hades, quem se alimentasse de seu banquete deveria viver no submundo, e como é protetora das regras, não pode negar a morada da filha no submundo, mas como mãe, entrou em acordo com Hades, para que e filha vivesse no Olimpo metade de um ano e a outra metade no submundo; havendo um acordo, Hades se casou com Proserpine.
Como era representada?
Geralmente sentada em pedras, segurando tochas ou ,até mesmo algumas vezes, alguma serpente (que representa o poder feminino). Sempre com uma grande túnica encobrindo o corpo, na cabeça, algum véu ou tiara que se assemelha a uma coroa e algumas vezes, com um único seio à mostra ou parte dele.
Rituais para Deméter:
Démeter, por ser uma das mais antigas divindades, possuiu várias celebrações e por ser deusa da fertilidade agrária, sempre havia festas ao início de cada estação do ano.
As Tesmofórias eram celebrações feitas em gratidão pela última colheita bem sucedida. As Clóias eram feitas quando o verde do trigo encobria as plantações. As Talícias eram feitas ao início de cada colheita, e por fim, as Haloas, festas em homenagem a Deméter e Dionísio.
Sempre eram servidos enormes banquetes com frutas e grãos em homenagem a deusa, dentro de seus templos.
Surgimento das quatro estações do ano:
Deméter, após o acordo com Hades, decidiu que a Terra e os homens devessem compartilhar de suas emoções e sentimentos sobre o ocorrido com sua filha. Para isso, ela criou então quatro estações, as quais seriam definidas de forma que todos soubessem como ela se sentia.
Como Proserpine deveria voltar para o submundo uma vez ao ano, Deméter criou o Outono; onde as plantas se enfraqueceriam e suas folhas secariam, demonstrando a passagem da jovem deusa para o submundo.
O Inverno foi criado para demonstrar a tristeza e a solidão que Deméter encontrava longe de sua filha.
O Verão foi criado para que Apollo ficasse mais tempo em regência no céu, de forma que pudesse avistar Proserpine quando retornasse do submundo e demonstrava a luz que o deus deu a Deméter quando ela se sentia perdida.
Finalmente, a Primavera foi criada para demonstrar a volta de Proserpine e a alegria de Deméter pela volta da filha.
Deméter nos dias atuais:
A deusa está novamente sendo venerada em rituais pagãos através de agradecimentos e oferendas.
Atualmente, é muitas vezes chamada de Grande Mãe, nomeando Gaia como Grande Avó (o que não é muito comum, pois também recebe o título de Grande Mãe).
Muitas vezes é esquecida pelas pessoas por causa das poucas citações em contos mitológicos.
Desejo a todos uma ótima Sexta-Feira e que Deméter nos permita a plantação e o cultivo de nossa comida!

1 Response to "Deméter, Grande Mãe"

  1. F. Seghetto Says:
    29 de outubro de 2011 15:38

    Muito legal, Felipe. (também me chamo Felipe XD)
    Estudo mitologia há certo tempo e gostei muito do conteúdo de seu site. Tem-me sido muito útil. Obrigado, está de parabéns e continue assim!!

Related Posts with Thumbnails